Transformação e reinvenção

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

No último dia 30, o Grupo BITTENCOURT realizou o webinar Re-Align your Core Business e contou como as empresas podem se saírem mais fortes e relevantes no mundo Pós Covid-19.

Duas empresas ícones no processo de ‘se reinventar’ participaram dessa ação.

Pearson e Reserva compartilharam suas perspectivas sobre o processo de transformação que passaram ao longo dos anos e como se adaptaram ao novo ambiente de negócios.


Pearson, da Construção de tuneis à educação digital

Para a Pearson, falar em realinhamento do negócio é um tema já internalizado na companhia. Há mais de 170 anos a empresa foi fundada como uma empresa de construção e logo após a segunda guerra se viu num mundo carente de acesso à informação. 40 anos depois, foi com a aquisição de uma editora nos anos 20, que a companhia ingressou de vez no universo da educação. Hoje, é uma das maiores empresas do setor, com mais de 1700 escolas em suas diversas marcas.

Eduardo Leite, Head de Inovação da companhia, contou no webinar como a empresa ao longo dos anos já passou por cerca de 6 processos de transformação do seu core business.

Antes mesmo da crise chegar a Pearson já passava por um processo de “digitalização” do seu negócio, e hoje 60% do faturamento é digital. O grande objetivo é participar da aprendizagem do aluno desde a fase infantil até a adulta.

Um exemplo disso é a marca Yázigi, que foi a primeira franquia do Brasil e completa 70 anos em 2020. Considerado em case emblemático de transformação de core business, a marca se colocou o desafio de transformar a escola de idiomas, possibilitando que os alunos não só façam a aula de idiomas, mas também atividades complementares (físicas, culturais e até de nutrição).

Com a crise, a marca conseguiu em apenas 16 dias colocar todas as atividades da escola numa plataforma totalmente digital e à disposição dos professores para que a atividade de ensino se mantivesse ativa, mesmo com a reclusão social.

O sistema de ensino híbrido deve perdurar nos pós crise com um equilíbrio entre o presencial e o online.

Eduardo listou algumas dicas importantes e que fazem parte do jeito de ser da Pearson, confira:

  1. Fazer e colocar em prática, nem que seja uma versão 1.0 para testar e corrigir;
  2. Focar em inovação sempre para não “enferrujar” – Manter a mente aberta para continuar aprendendo sempre;
  3. Racionalizar a ideia, pensando como e onde ela impacta;
  4. Ter ampla comunicação;
  5. Considerar a cultura da empresa – a liderança deve ser promotora da mudança que se deseja ver;
  6. Fazer parcerias estratégicas, criar ecossistemas colaborativos;
  7. Priorizar pessoas, que são a chave do processo de transformação, formando uma equipe multidisciplinar;
  8. Pensar nos clientes e parceiros, incluindo os franqueados, convidando-os para ajudar nas transformações.

Reserva: Uma empresa humanizada e otimista apesar das adversidades

É assim que Juliana Almeida, resumiu o jeito de ser da Reserva, empresa de moda masculina fundada por Rony Meisler.

Conhecida por sempre fazer dos limões, limonadas – ou seja transformar e reinventar o negócio - a Reserva tem pautado suas decisões dos últimos dias pela clareza da interdependência entre os diferentes elos da cadeia. Segundo Juliana, todos devem estar conectados aos mesmos objetivos e, assim com um único foco, não há dispersão da energia da companhia mesmo nesse cenário adverso.

“O cuidar das pessoas nunca foi tão forte” disse, reforçando que o propósito da empresa é: Cuidar e emocionar as pessoas todos os dias - a reação ao ambiente não poderia ter sido diferente. Com negociações com fornecedores um a um, e com uma nova campanha chamada “somos todos vendedores” a Reserva conseguiu a mesmo tempo cuidar do caixa e manter as equipes de loja aquecidas e... vendendo. Mais de 1300 colaboradores participam da ação.

Em “mode reinvenção” a empresa considera que está num momento de aprendizagem e adaptação em que seus pilares se mantém, mas a estratégia começa a ser revista para acompanhar efetivamente a jornada e a experiência do consumidor de ponta a ponta. “É uma necessidade, não é mais uma escolha”, fala sobre a necessidade de levar a experiência da loja Reserva para o cliente dentro de casa.

Juliana também listou alguns pontos importantes que apoiaram a Reserva nesse momento e que servem para os empresários atualmente. Veja quais são:

  1. Transparência e comunicação para o engajamento das pessoas
  2. Propósito real e com cultura aderente a esse propósito, regendo todas as ações da companhia
  3. Foco nas pessoas (a diretoria teve seus salários reduzidos para que isso não tivesse que acontecer com os colaboradores de base)
  4. Interdependência e colaboração. Com a cultura da empresa impregnada as pessoas se propõem a fazer mais, a ajudar mais.
  5. Uma liderança ativa e presente.

Se você perdeu, não se preocupe. Teremos mais edições do [BConnected] iniciativa do Grupo BITTENCOURT para construção em conjunto com as empresas de um novo ambiente de negócios. Fique de olho nas nossas redes sociais e participe!

Enquanto isso, baixe o paper sobre o tema e inspire-se! Clique aqui

Quer saber mais? Entre em contato conosco!