Seamless retail: o varejo perfeitamente (e radicalmente) integrado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
A era do seamless retail (numa tradução livre, varejo perfeitamente integrado) definitivamente está no meio de nós. Implica em oferecer uma experiência que, não importa a porta de entrada do cliente – loja física ou online –, ele terá sua necessidade resolvida de forma simples e rápida. Comprar online e retirar na loja, comprar na loja e receber em casa, cadastro de cliente único, com seu histórico de compras online e em qualquer endereço do planeta, o smartphone integrado ao processo de venda e pagamento. Não se trata mais da integração online e offline. Isso é passado. O varejo pede agora a integração radical entre online e offline. O mantra “consumo inteligente + cadeia de suprimentos inteligente + logística inteligente” foi repetido por diferentes varejistas e palestrantes durante a NRF 2019, o maior evento do varejo global, em Nova York. E aqui vem a primeira regra. As operações das lojas físicas e eletrônicas devem ser consistentes entre si e interligadas. O que há de novo é a integração e a digitalização de toda a cadeia de valor. Desde o desenvolvimento do produto até o last mile (entrega final nas mãos dos clientes). Muito se fala do varejo omnichannel, mas a verdade é que a maioria dos varejistas ainda é, no máximo, multicanal. Ou, melhor, tem vários canais de vendas, mas sem integração plena. Todos os processos da organização devem ser repensados, sistematizados e integrados. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Esse ponto foi reforçado por Rodney McMullen, CEO da Kroger, varejista com faturamento superior a US$ 122 bilhões e cerca de 450 mil funcionários. Tudo acelerado pela evolução tecnológica. Inteligência artificial (que 85% dos varejistas implantaram ou pretendem implantar), auxiliando na predição de tendências de vendas e comportamento de compra, busca de produtos por clientes na loja eletrônica; na gestão de estoque, na assistência de vendas ao consumidor e ao vendedor, nos diálogos de redes sociais e aplicativos de mensagens.
StarbucksO foco é acabar, ou reduzir ao máximo, as barreiras e os pontos de atrito na experiencia do cliente. Assistência em tempo real de um vendedor da loja física, na sua compra online; entrar na loja e ser reconhecido como um cliente único, com suas preferências e hábitos de compra, sem apresentar nenhum documento, apenas pela leitura facial; monitores eletrônicos para ajudar na escolha dos looks, que serão entregues por um vendedor na cabine de prova; programas gestores de preço que atualizam automaticamente a etiqueta, agora eletrônica, de toda a rede em minutos, em função da demanda ou da estratégia. É a tecnologia a serviço da personalização do atendimento, da gestão de toda cadeia e da simplificação do serviço. O executivo Harlan Bratcher, da JD.Com, maior varejista da China, outra marca pouco conhecida por aqui, que entrega mais de 90% de seus pedidos em menos de 24 horas, ainda mostrou seus carros autônomos e drones entregando compras em casa. E toda essa integração passará inevitavelmente pela forma de pagamento. A desmaterialização monetária está cada vez mais avançada, e em pauta. É a cashless society.  Basta seu celular ou, eventualmente, só o seu rosto. E isso também só é possível porque as tecnologias de segurança e de dados estão cada vez mais avançadas. Caixas em que basta se colocar as dezenas de produtos escolhidos por perto para que sejam automaticamente computados, é mais um exemplo. Estive ainda na Amazon 4-star – muito comentada na NRF Big Show – e, ao entrar, tem-se um primeiro estranhamento pelo tamanho da loja. É pequena comparada com o gigantismo da marca, mas o que encanta é a integração plena com o mundo digital da varejista. As instalações em geral – mobiliário e visual merchandising – são simples. Todos os produtos bem avaliados pelos clientes online são transportados para a loja física. Ou seja, a curadoria é toda feita pelos próprios clientes. Comprei um Kindle e, ao ser identificada como assinante do Prime, tive uma condição especial. Produtos que não encontrei poderiam ser entregues. Enfim, a loja é uma pequena amostra da Amazon na sua potencialidade. FONTE: ISTOÉ DINHEIRO Gostou dessa matéria? Achamos que você também ira gostar desse artigo:VAREJISTAS GLOBAIS RETOMAM PLANOS PARA EXPANSÃO NO BRASIL
  O Grupo BITTENCOURT atua com consultoria voltada para o desenvolvimento e expansão de redes de franquias e negócios. As consultorias e os programas especializados envolvem o desenvolvimento, a expansão e gestão de redes de negócios em todos os segmentos, com a identificação e implementação da melhor  estratégia de canais de vendas e distribuição; formatação e implantação de sistemas de franquias. Para mais informações sobre projetos entre em contato conosco através do e-mail contato@bcef.com.br
 

Contato

  • contato@bcef.com.br
  • +55 11 3660-2201
  • Av. Paulista, 171 - 9 andar - Paraíso - São Paulo -SP CEP - 01311-904

Atualize-se

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique informado.


Portfólio

Recentes

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin