Saiba como diminuir a rotatividade de funcionários nas franquias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Veja como rede de franquias Mania de Churrasco! Prime Steak House reduziu seu turnover de 80% para 18%

A rotatividade funcionários do segmento de franquias de alimentação é uma das mais altas do mercado. Essa movimentação de mercado, também conhecida por turnover, deve-se à dificuldade das empresas em reter e manter a equipe motivada a fazer carreira na organização. No caso de restaurantes que compõem as praças de alimentação de shoppings centers, a tendência é que esta questão seja ainda mais evidente, principalmente na área de atendimento ao cliente. A rede de franquia Mania de Churrasco! Prime Steak House, conhecida por oferecer cortes de carnes nobres a preços populares, hoje possui 63 restaurantes em operação nos estados de SP, RJ, MG e PR. Cada uma das unidades conta com cerca de 15 colaboradores, que ocupam cargos de gerência, atendimento, caixa, além da equipe de cozinha. Com isso, cada vez que um colaborador se desliga de uma loja – além das questões burocráticas - é preciso contratar uma nova pessoa e oferecer treinamento adequado, especialmente se o desejo da marca for oferecer uma experiência completa e agradável aos clientes e rica em qualidade de ponta a ponta, sempre com sorriso no rosto. Assim, é de extrema importância que uma vez absorvidos os conceitos passados em treinamento, esse colaborador consiga aplica-los no dia a dia de trabalho e, mais do que isso, possa replicar isso aos colegas e clientes, além de crescer na empresa, buscando promoções, por exemplo. De acordo com dados da empresa, em 2016 o turnover foi de 80%. Nesta época teve início a implantação de um programa com foco na gestão de pessoas, em especial nas lideranças. Como resultado dessas ações, em 2017 o turnover caiu para 50%. Em 2018 foram implantadas ações de integração e treinamento envolvendo todos os colaboradores. Até maio, o turnover foi de apenas 18%. Seguem ativos os programas já implantados na empresa e foram adicionados a eles mais um programa de desenvolvimento de pessoas e um programa de excelência, que concede pontuação às lojas e as classifica em um ranking, que dá direito a premiações. Para alcançar esse resultado a rede conseguiu criar um mecanismo de valorização de pessoas, engajamento de equipes e de crescimento do colaborador na empresa que vem funcionando muito bem. São várias as frentes de atuação para que isso funcione. Por exemplo: realização de convenção anual para esses colaboradores, com premiação para as equipes das lojas (inclusive com viagens) com boa avaliação em diversos quesitos; realização de eventos periódicos com concurso de perguntas e respostas (formato Quizz), em que cada loja é representada por uma equipe (a vencedora é premiada também), reuniões diárias realizadas entre gerentes de lojas e suas equipes (para relembrar metas, fazer elogios e corrigir possíveis equívocos), proximidade de equipes de qualidade da franqueadora (que fazem visitas frequentes para verificação de todos os pontos importantes da loja e motivação de colaboradores), entre outros. 

Experiência

Julio Monteiro, CEO da rede de franquia Megamatte, aponta que para diminuir o turnover no segmento de alimentação é necessário colocar o profissional de loja no centro das atenções. “Quando você contrata um profissional para trabalhar no varejo, você tem profissionais que ainda estão em formação, seja acadêmica ou de experiência de vida.  Independente de qualquer coisa, você precisa mostrar que ele está no ambiente para fazer a diferença. Esse profissional precisa ter muita calma, paciência e vontade de servir, sendo um verdadeiro anfitrião.  É essencial ser bem claro em relação aos papéis que ele vai desenvolver no estabelecimento. Para isso é importante construir um plano de carreira e recompensas por meio de mérito e reconhecimento do talento”, comenta Monteiro. Já Renato Muniz, diretor de franquias da rede DNA Empório, do ramo de produtos saudáveis, o segmento de alimentação lida com muitos funcionários que recebem o piso salarial (ou próximo), por isso a rotatividade é grande. “Para minimizar isso, primeiramente, o funcionário precisa fazer parte de um time, sentir-se acolhido. Investir em integração de equipe e do funcionário com a marca, sua missão e seus valores faz toda a diferença para a conexão do funcionário com a empresa. A relação fica mais sólida do que simplesmente trabalhador e empregador”, esclarece Muniz. Para isso, ele aponta que o propósito tem que ser claro e, acima de tudo, deve gerar valor para o cliente e para os funcionários. “Acreditamos que todo funcionário tem o poder de ser o embaixador da marca. Quando a empresa investe no seu funcionário, com seus valores, passa a ser mais fácil ele ser um vendedor de excelência. Todo trabalhador na empresa é um vendedor em potencial. Então, investir em capacitação é o grande meio que as franquias tem reter seus funcionários”, complementa.

Como diminuir turnover

Para especialista em gestão Fabrício Moroni, na ‘alquimia’ do turnover de colaboradores em franquias de alimentação, o primeiro a saber é que todas as marcas passam por isso. “Além de avaliar a remuneração oferecida, é importante reconhecer os bons funcionários. Você deve prestar atenção na sua equipe e promovê-los à medida que avançam e se destacam no seu ofício. Engajar sua equipe também é um ponto muito importante. Os colaboradores que querem e desejam ficar no seu negócio irão ficar, apoiar e suportar o negócio. Aqueles que não desejam devem ser demitidos, indenizados e seguir suas vidas profissionais adiante”, diz Moroni. Seguem abaixo as respostas da Sonata Brasil para a pauta:  Especialista para dar dicas de como reter profissionais em redes de franquias de alimentação - que é um segmento com maior rotatividade de funcionários É essencial também deixar claro o caminho de ascensão na carreira. “Até onde seu funcionário pode chegar se ele exceder todas as expectativas?  Pode ser gerente? Sócio? Dono de sua própria franquia? Enxergar um futuro gera comprometimento e engajamento. Faça um plano de carreira para os seus colaboradores. Muitos empresários reclamam da alta rotatividade de colaboradores, estes que acabam sendo fisgados pela concorrência depois da empresa oferecer treinamento, capacitação e até mesmo aumento de salário. Mas para reter um colaborador, ele precisa entender que você, enquanto empresário, tem planos para ele crescer dentro da empresa. Então, crie um sistema de crescimento profissional que mostre um reconhecimento e conquistas pelo mérito”, comenta especialista. Fonte: Sua Franquia Gostou dessa notícia? Achamos que você também vai gostar desse artigo: A FORÇA DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL NA SUSTENTAÇÃO DAS REDES DE FRANQUIAS O Grupo BITTENCOURT atua com consultoria voltada para o desenvolvimento e expansão de redes de franquias e negócios. Assessora as empresas franqueadoras na redefinição da cultura e no desenvolvimento de líderes para atuação no novo ambiente empresarial, contribuindo para a melhora do desempenho profissional impactando positivamente os resultados da empresa. Conheça nossos cursos de capacitação no franchising, saiba mais clicando aqui