Mercado de Franchising

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
O franchising no Brasil cresceu nos últimos 10 anos à taxas bem superiores ao PIB, e a curva de maturidade do setor também vem evoluindo ano a ano, a realidade das redes hoje é totalmente diferente de 10 anos atrás, a relação ganha/ganha  está mais evidente e percebida pelos franqueados, o que é muito bom para a evolução do sistema. Não podemos afirmar que é um setor totalmente maduro, pois existe ainda um caminho a ser percorrido pelos empresários que atuam com o sistema.  Por ser um mercado composto de diferentes segmentos e de perfis distintos de empresas em tamanho, localização e tipos de produtos e serviços que comercializam, existe uma complexidade maior nas análises de maturidade do setor. Alguns segmentos no Brasil utilizaram mais  o  franchising  como estratégia de expansão de seus negócios do que outros e  hoje já abrigam um grande número de marcas, como é o caso do setor de alimentação. Mas o Brasil ainda têm muitas regiões em potencial para serem desenvolvidas e há espaço para novas redes em diferentes mercados. O que percebemos é que, cada vez mais, haverá uma seleção natural das marcas que estão mais bem estruturadas para atuar no franchising. O sistema de franquias vem chamando a atenção de grandes players da indústria que estão indo para o varejo utilizando um modelo estruturado para operação por um parceiro/franqueado, recebendo todo o apoio para obter sucesso e contribuir com a maior visibilidade da marca. Temos vários exemplos de sucesso no Brasil, um principal deles é a Hering. Indústrias de calçados, cosméticos e vestuários estão indo na mesma linha. Atuar no franchising é desafiador. Os empresários que decidem por esse modelo de expansão devem ter uma visão clara de que terão que contar com o engajamento de seus franqueados, da mesma forma que estes devem contar com o apoio e suporte da franqueadora para que a unidade, sob seu comando, atinja os resultados projetados e que consigam obter retorno do capital investido. A relação deve ser permeada pelo conceito ganha/ganha e de interdependência, e essa visão deve estar clara na mente de ambos, franqueado e franqueador. Neste cenário, acreditamos que o mercado de franquias está em desenvolvimento, com muitas empresas no período iniciante - há menos de dois anos no sistema, uma parcela maior, em desenvolvimento, e um grupo significativo já em um estágio maduro e rumo à consolidação. Ainda temos muito espaço no Brasil para crescer com franquias. O sistema tem contribuído com o desenvolvimento do país e com a maior arrecadação de impostos.  Pequenos negócios que atuavam no mercado informal, hoje estão atuando no franchising de forma estruturada. A consequência positiva é que alguns mercados se organizaram a partir do franchising,  em especial os negócios de prestação de serviços, que geram conveniência para a população. O grande desafio do franchising no Brasil  é  a condição desses  empresários, franqueadores, de manter a rede competitiva e sobreviver face às intempéries do ambiente econômico do país e das políticas de nosso governo, dado que este pouco conhece desse modelo que tem permitido  pequenos negócios  se destacarem no mercado e, em muitos casos, com um crescimento exponencial. O sistema cresceu e continuará crescendo, porém a sua consolidação vai depender de algumas trilhas ligadas à gestão, liderança e capacitação, que precisam ser percorridas por todos.