As lições de liderança de Richard Branson

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
" O destaque de ontem do Retail’s Big Show, o maior encontro mundial do varejo, foi a apresentação do britânico Richard Branson, fundador do Virgin Group, que teve como tema “O engajamento com a marca em uma era de disrupção e reinvenção contínua”. Um dos mais admirados empreendedores da atualidade, Branson construiu um império que conta com mais de 35 empresas, em áreas como lazer, média, serviços financeiros e indústria espacial. Confira a seguir as lições de liderança do mestre. Aprenda a delegar “Muita gente abre um negócio achando que tem que fazer tudo sozinho. Como sou um empreendedor serial, logo percebi que tinha que achar pessoas mais capacitadas do que eu para comandar as minhas empresas. E, como eu sou disléxico, isso me ajudou, porque não teria como lidar com os números sem ajuda. É bom lembrar que esse tipo de decisão vai depender do tamanho da empresa. Para negócios menores, é bom o empreendedor olhar tudo de perto. É o caso de pequenos restaurantes, onde o dono deve cuidar de tudo pessoalmente.” Elogie a equipe “Como um líder, você deve elogiar sempre que possível os seus funcionários. Valorize o que há de melhor neles, e eviete ficar criticando o tempo todo. E, principalmente, não seja duro demais com os erros. Permita que eles aconteçam sem que você tenha que pular na garganta dos outros.” Crie oportunidades “Como o grupo Virgin tem muitas empresas diferentes, sempre é possível mudar de área. Se alguém se cansar de ser piloto na Virgin Atlantic, pode ir ser astronauta na Virgin Galactic, por exemplo. Permitir essa flexibilidade é o que mantém os funcionários mais talentosos no grupo. É preciso garantir que eles estejam se divertindo.” Seja um bom ouvinte “Para ser um bom líder, é preciso aprender a ouvir – e anotar. Passo boa parte do tempo ouvindo e absorvendo informações, e anoto tudo em um bloquinho que sempre carrego comigo. Depois passo a limpo essas anotações, de olho nos detalhes que podem ser aprimorados. São os pequenos detalhes que fazem as pessoas escolherem a sua companhia na próxima viagem.” Não tenha medo de mudar “O advento da música digital me obrigou a fechar as Virgin Megastores. Mas, antes de encerrar o negócio, fiz uma análise para avaliar quais produtos estavam vendendo mais. Como os celulares e os games estavam em alta, decidi abrir uma outra empresa dedicada apenas a eles. Então, acredito que varejistas devem pensar como empreendedores. Se a loja não vai bem, descubram o que vende mais. Criem novos negócios. E daí, com esses recursos, talvez consigam dinheiro suficiente para ajudar as lojas a sobreviverem.” Nesta terça-feira, último dia do evento promovido pela National Retail Federation (Federação Nacional do Varejo dos EUA), o destaque será a palestra “Conquistando o consumidor socialmente consciente”, com Lars Peterson, presidente da rede de lojas de decoração IKEA, e Christopher Gavigan, chefe de propósito da The Honest Company, varejo de produtos para bebês  fundado pela atriz Jessica Alba. Eles vão mostrar como conquistar a lealdade do cliente, com base na autenticidade da marca e na construção de um vínculo de confiança com o público. Fonte: PEGN