Dicas para crescer no mercado de construção e decoração

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
2009-04-02 Consultoria alerta para as mudanças de comportamento do consumidor e oferece dicas para crescimento sustentável A BITTENCOURT - Inteligência em Redes de Negócios, consultoria especializada em análise de mercado e expansão de redes de negócios, realizou análise do mercado de construção e decoração e concluiu que o setor dificilmente passará por problemas - e tende a crescer - principalmente se os empreendedores atenderem aos anseios dos consumidores. “Por se tratar de setores relacionados à moradia e conforto das famílias, independente do poder aquisitivo, a probabilidade de queda no crescimento é baixa”, afirma Claudia Bittencourt , diretora-geral da BITTENCOURT|Inteligência em Redes de Negócios. De acordo com a consultora, para estar à frente da concorrência é interessante fazer um planejamento de marketing adequado, trabalhar com uma política de atendimento totalmente voltada para a satisfação do cliente e com as questões de sustentabilidade do meio ambiente. “Esses são apenas alguns fatores para “garantir” a alta demanda e sustentar o crescimento”, explica. Ainda de acordo com Claudia, “o Brasil conta com profissionais bastante criativos e com uma variedade grande de produtos e materiais para decoração”. Um aspecto importantíssimo é saber a procedência da matéria prima. Produtos ecologicamente corretos e a preocupação com sustentabilidade são itens que atraem a atenção não só de clientes, como de investidores e interessados na expansão do negócio. É importante analisar a capacidade de concorrer de forma competitiva com as grandes redes. Segundo a BITTENCOURT, as empresas de materiais de construção, móveis e decoração têm que estar atentas às mudanças de comportamento do consumidor no que diz respeito ao estilo de vida e entretenimento. Os equipamentos eletrônicos, por exemplo, garantem a diversão em casa. Sendo assim, os móveis estão cada vez mais voltados para o conforto no lar e as redes de materiais de construção passaram a oferecer serviços como montagem e instalação para a compra de produtos que ofereçam esse conforto. Aspectos como esses são bons indicadores das estratégias a serem desenvolvidas. Outro fator que tem contribuído muito com a evolução de algumas redes neste segmento é o de segurança. O risco de sair de casa à noite tem levado os pais a tornarem o ambiente caseiro o mais atraente tanto para os filhos quanto para seus amigos. “Quem acompanhar esta tendência e se antecipar às necessidades dos clientes alcançará resultados interessantes”, afirma Claudia. Mais dicas: É interessante que além de oferecer comodidade ao cliente no momento da escolha dos materiais, os empreendedores do setor sigam sempre as tendências de mercado para que os produtos tornem-se verdadeiros objetos de desejo. Um ponto que merece atenção é que a classe C tem mudado sua forma de consumir, ou seja, a preocupação dessas famílias deixou de ser focada apenas na alimentação para dar destaque aos bens de consumo como televisão, aparelho de som, etc. O exemplo clássico vem com as Casas Bahia, líder de mercado, que enxergou consumidores potenciais e desenvolveu sistema de crédito que beneficia e proporciona a essas famílias o poder de consumo, antes reservado apenas às outras classes sociais. Mercado: O mercado de construção cresceu, de acordo com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo, cerca de 6,3% no segundo trimestre de 2007, em comparação com o mesmo período do ano anterior. A expectativa é de que o PIB da construção civil cresça 7,9% neste ano. Segundo o IBGE, a construção civil, ao crescer 6,3% no 2º trimestre, foi um dos setores responsáveis pelo bom desempenho da indústria no período, que registrou crescimento de 6,8%. Isso contribuiu para a elevação de 5,4% do PIB brasileiro no período.