Como saber se a franquia que você quer abrir é uma furada

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Em tese, abrir uma franquia é uma forma de partir para o empreendedorismo com um pouco mais de segurança. Mas como saber se investir na franquia que você anda de olho é furada? As dicas a seguir podem ajudá-lo a identificar se está no caminho certo. Você não precisa ter experiências anteriores no mundo dos negócios para abrir uma franquia, desde que a franqueadora ofereça condições para tocar o negócio com o mínimo de risco possível. Siga os passos a seguir para escolher sua franquia com mais segurança: 1) Tenha afinidade com o segmento da franquia Ter uma forte identificação com o negócio é essencial para ser bem-sucedido no mundo das franquias. “Conheço péssimas franquias que na mão de franqueados apaixonados foram um sucesso”, conta o especialista em franquias. Mas isso não significa que basta gostar de pizza para abrir uma pizzaria, por exemplo. É preciso gostar de se relacionar com fornecedores e funcionários e estar disposto a perder o final de semana trabalhando. “Você precisa encontrar um negócio que tenha a ver com o seu perfil psicológico”, alerta Claudia Bittencourt, diretora geral do Grupo Bittencourt,  consultoria especializada em gestão de negócios. 2) Escolha uma franquia com história no mercado Se a principal vantagem de abrir uma franquia é  aproveitar uma marca que já tem experiência no seu segmento, por que escolher uma inexperiente? Escolha uma franquia que tenha, no mínimo, dois anos de estrada como franqueadora, como recomenda Rizzo. Outra dica é se informar sobre a quantidade de franquias da marca que já fecharam. “É natural que lojas fechem, mas quando o número de franquias que abriram é o mesmo que o de franquias que fecharam, há problemas na operação”, explica. Fonte:  Exame Leia mais notícias no Portal, clicando aqui. Conheça os serviços do Grupo BITTENCOURT 3) Investigue a real da empresa com ex e atuais franqueados É essencial descobrir se os outros franqueados da marca estão satisfeitos e quais motivos levaram os ex-franqueados a fechar o negócio. “Não se iluda que você terá todas as informações que precisa facilmente. É preciso ser um investigador, e esse processo demora pelo menos três meses”, avisa Claudia. Você terá que correr atrás dessas informações por conta própria. “Tome cuidado com consultores travestidos de corretores, que ganham comissão das franquias”, alerta. 4) Leia com atenção a Circular de Oferta de Franquia (COF) A Circular de Oferta de Franquia (COF) é um documento que o franqueador tem que apresentar ao candidato a franqueado antes do contrato, com todas as informações sobre o negócio. É importante ler com atenção sobre o conceito da marca e todas as taxas cobradas. Desconfie de franquias “livres de taxas” ou que oferecem um “modelo flexível”, como sugere. 5) Pesquise a reputação da marca entre os clientes Você pode pesquisar na internet se há consumidores reclamando da marca. Se a empresa não tem site, nem está presente em nenhuma rede social, desconfie da sua credibilidade. “Se a empresa está desconectada do mundo digital, é como se ela não existisse”, lembra Claudia. 6) Não se deixe seduzir por selos e prêmios Não se empolgue apenas com selos ou prêmios que a franquia ganhou. “As franquias profissionais e bem estruturadas não estão atrás de prêmios e sabem que o maior deles é ter seus franqueados na rede com várias unidades por muito tempo”. Fonte:  Exame