A importância do espaço físico para o sucesso das empresas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
A loja física torna-se um espaço para formar a imagem do produto e da marca. Entendendo que a localização é um destes pilares, torna-se fundamental a busca por um ponto comercial impactante Recentemente, a revista Exame publicou uma reportagem mostrando a importância do espaço físico baseada no livro "All Business is local – Why place matters more than ever in a global, virtual word" ("Todo negócio é local – Porque o lugar importa mais do que nunca em um mundo global e virtual", numa tradução livre) dos especialistas em marketing John Quelch, inglês, e Katherine Jocz, americana. Eles defendem uma tese muito interessante de que entre os 4 Ps do Marketing, hoje o fator que mais importa é o lugar (place, em inglês) e um dos exemplos mais ilustrativos, segundo os autores, são as lojas da Apple. "O lugar físico define a maioria dos comportamentos de compra. O toque, os sons, os cheiros e o ambiente social das compras feitas em locais de tijolo e cimento são tremendamente importantes" diz um dos autores. Mesmo com o crescimento do comércio eletrônico, as pessoas necessitam vivenciar a marca. Isto pode acontecer virtualmente, mas, mais do que nunca, é necessária a existência de um varejo físico para conquistar o coração das pessoas. A loja física torna-se um espaço para formar a imagem do produto e da marca. Uma loja mal localizada, feia, desorganizada e com um mau atendimento fatalmente transmitirá uma imagem negativa na percepção do consumidor, que além de falar mal, deixará de comprar. Entendendo que a localização é um destes pilares, torna-se fundamental a busca por um ponto comercial impactante que, pela visibilidade que este transmitirá, poderá colocar a marca/produto em um novo patamar, para o bem ou para o mal. Por isso, os investimentos em geolocalização, estudos de vocação e profissionais são cada vez mais importantes dentro destes projetos, onde o tradicional "feeling" perde cada vez mais terreno. Um movimento importante do varejo é a presença cada vez maior da indústria vendendo diretamente ao consumidor. Empresas como Hering, Bibi, Nespresso, Gol, Lupo, Valisère, entre outras, dependem cada vez mais destes pontos de vendas para crescerem e consolidarem sua imagem no mercado. As lojas estimulam um contato direto com o consumidor trazendo informações importantes para a indústria. Imaginem se estas lojas forem mal operadas e desorganizadas? Felizmente, temos visto cada vez mais os empresários varejistas investindo em visual, merchandising, projetos arquitetônicos arrojados, equipamentos sofisticados e tecnológicos e investindo em pontos comerciais bem localizados, de boa visibilidade e impacto. Quem ainda não despertou para a importância disto, precisa entender que este é um caminho sem volta e que o barato sai caro quando diz respeito à imagem da sua empresa para o consumidor. *Marcos Hirai é sócio-diretor da BG&H Real Estate.