Grupo BITTENCOURT aponta fatores que influenciam na hora de montar uma franquia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Alguns cuidados são essenciais na hora de empreender no mercado de franquias. Ansiedade e pressa na hora da tomada de decisões, bem como agir com emoção não considerando a razão, são erros comuns entre os empreendedores iniciantes. Não basta escolher um bom ponto ou um setor com boa lucratividade se na hora da tomada de decisão o negócio escolhido não corresponder com as expectativas,  com o perfil e com  as competências do fraqueado. Levando esses tópicos em consideração, a diretora geral do Grupo Bittencourt, Claudia Bittencourt, listou algumas dicas para empreender com franquia e ser feliz: 1-    Escolha da franquia – Avalie bem as oportunidades de negócios e busque por setores que se encaixem com suas características, habilidades e experiências anteriores. É importante ressaltar que, dependendo da complexidade do negócio, é possível empreender em algo novo e com o que o franqueado não tenha tido contato antes. Durante o processo seletivo, o franqueador irá assimilar o perfil do candidato e analisar se ele tem condição de aprender o necessário. 2-    Perfil de investimento – São três os perfis de investimento e complexidade de uma franquia que o futuro candidato deve analisar. O primeiro perfil é de baixo e médio investimento com aplicação de até R$ 100 mil e com baixa complexidade de operação. Em geral  a operação é padronizado, quase mecanizada e que a má operação não envolve riscos para o consumidor. São as franquias de  prestações de serviços de limpeza, reparos e pequeno varejo. O segundo, o investimento varia entre R$ 100 e R$ 500 mil e é de média complexidade. Nesse grupo  a operação também é padronizada, porém exige um conhecimento maior do franqueado em gestão de pessoas e de negócios. A má operação pode gerar perdas financeiras para o franqueado. Como exemplos podemos citar as franquias de  varejos em geral, lavanderias e escolas de idiomas. O terceiro grupo exige um alto investimento, onde o valor ultrapassa R$ 500 mil. A operação também é padronizada, porém exige um conhecimento maior do candidato a franqueado em gestão de pessoas, negociação e finanças. A operação mal administrada pode gerar riscos para o consumidor e para a marca além de perdas financeiras para o franqueado. Seriam os restaurantes, parques infantis, buffet infantil, móveis planejados, por exemplo. 3-    Mercado e oportunidades – Existem muitas oportunidades para novos modelos e formatos de negócios e exploração de novas praças. Muitos dos segmentos que foram impactados pela crise, estão se reestruturando, porém existem oportunidades de nichos, como o on line, por exemplo. É preciso muita atenção aos mercados saturados, onde há muita concorrência e poucas oportunidades. Os negócios de modismos também são de risco elevado e os negócios que não foram testados pelo franqueador antes de lançada a franquia devem ser muito bem analisados. Neste último caso a franqueado vai correr os mesmos riscos que a franqueadora. Tabela explicativa sobre investimento, segmento, complexidade,  oportunidades e o momento que o segmento está enfrentando. 4-   Calma- Cuidados importantes e vitais para se ter resultados positivos ao se tornar um empreendedor de franquia. Não permita que a emoção seja mais forte que a razão durante todo o processo de escolha do negócio. A ansiedade e a pressa podem ser preponderantes para se cometer erros na seleção do negócio ideal para seu perfil e valor que tem para investir. É fundamental pesquisar, pesquisar e pedir ajuda quando não tem certeza que está tomando a decisão certa. Tomar muito cuidado se o negócio que escolher está bem formatado e saber das competências e estrutura do franqueador. Muita atenção porque papel aceita tudo. É fundamental que haja a validação das premissas financeiras. E um fator que pode naufragar tudo: a desmotivação por entrar com expectativa errada do negócio, peça ajuda para outros empreendedores, amigos ou consultores especializados em franquias.